Em 1998, a Justiça Eleitoral deixou o SBT fora do ar por 24h


Os conflitos de grupos de mídia com políticos e com a justiça eleitoral não são novidades na história da nossa nova república. Um fato curioso marcou as eleições de 1998 no estado de São Paulo.


Durante aquela campanha o SBT foi alvo de notificação e multa duas vezes por favorecimento ao então candidato ao governo do estado de São Paulo Paulo Maluf, do PPB. As multas foram aplicadas por supostos privilégios durante os programas de Hebe Camargo e do 'Domingo Legal', apresentado na época por Gugu Liberato.


O terceiro episódio seria a gota d`água para uma punição mais severa. O apresentador Carlos Massa, Ratinho, defendeu um projeto de segurança pública do então candidato e criticou abertamente a política de segurança pública de Mário Covas durante o seu programa no horário nobre.


Pela reincidência a justiça entendeu que a emissora estava promovendo um desequilíbrio da disputa local e decidiu suspender a transmissão do sinal da emissora por 24h na Grande São Paulo, além de aplicar uma multa no valor de R$192 mil.


Por uma dia inteiro quem sintonizava na segunda maior emissora do país em São Paulo lia apenas a seguinte mensagem: "Estamos fora do ar por decisão da Justiça Eleitoral, em virtude de desobediência ao artigo 45, inciso III da Lei Eleitoral (Lei 9504/97)".